ORGANIZAÇÕES DESNORTEADAS ? CULTURA DO COMPROMETIMENTO!* Do egocentrismo à empatia corporativa: não “cultura do EU”, mas “cultura do NÓS”

Mais de 89% das empresas da Fortune 500 desapareceram dessa lista nos últimos 63 anos. Ou seja, entre 1955 e 2018, apenas 11% permaneceram, segundo o American Enterprise Institute – AEI (1). Por que? Perderam o rumo, desorientaram-se?

“Se você não está confuso, não percebeu o que está acontecendo”, afirmou Jack Welch, que foi CEO da GE (2) .

Por que organizações de sucesso parecem transformar-se em organizações desnorteadas? Uma das causas mais importantes certamente é não valorizar e não trabalhar sistematicamente a cultura organizacional. Há quem leve isso muito a sério.

Tony Hsieh, presidente da Zappos, afirma:  “mesmo sendo um superstar na sua especialidade, se você for ruim para a cultura, nós vamos demitir você!” (3)

A Diretora de RH da 3M (4) fala sobre a prática de sua organização: ao invés de competição individual, estimulamos as pessoas a trabalharem por uma boa entrega coletiva, criando-se uma cultura de criatividade e colaboração. 

Não “cultura do eu”, mas “cultura do NÓS”. Não “cultura egocêntrica”, mas “cultura empática”.

Não “cultura de envolvimento”, mas “cultura de comprometimento”.

No dicionário (5) a palavra “envolvimento” quer dizer “caso, aventura”. Ou “ato de envolver-se”, que significa “cobrir-se com invólucro, embrulhar-se”, e tem na raiz etimológica “enrolar, esconder”.  Já “comprometimento” significa “compromisso”.

As organizações de sucesso duradouro criam uma “cultura de comprometimento”. As que deixam brotar uma “cultura de envolvimento”, onde as pessoas enrolam, se escondem e tem apenas um “caso” com a organização, se transformam em “organizações desnorteadas”. Nessa “cultura de envolvimento” muitos acabam abraçando um modelo mental do  “Cada um por si e Deus por todos! Nada é problema de ninguém!”

Certa vez, num encontro de desenvolvimento de lideranças sobre o Kaizen Zero (WCCA), quando o instrutor falava sobre a necessidade de interação entre as diversas áreas, um gerente pediu a palavra e disse: “Nossa empresa é uma AMEBA (6)! Aqui predomina o EU e não o NÓS, o egocêntrico e não o empático!” E quando passou-se a discussão com o grupo ele complementou e esclareceu.  Disse que até havia um excelente padrão operacional e tecnológico consolidado em todas as áreas: comercial, administrativa, financeira, RH, etc. Porém, o problema estava nas deformações provocadas no organismo empresarial: ao invés de pensar no todo, no trato diário cada um pensava mais na sua parte. Esse comportamento egocêntrico gerava conflitos entre pessoas e áreas e grande perda de energia porque cada um fazia muita força, mas, muitas vezes, em direções diferentes. A consequência da falta de empatia corporativa era evidente: perda de qualidade e produtividade, aumento nos custos, e deterioração do clima com aumento da insatisfação.

A deformação organizacional gera a AMEBA, símbolo da falta de um Norte Cultural!

Que Norte Cultural é desejável? O norte cultural do COMPROMETIMENTO: sinérgico, empático, da negociação constante de todos com todos. É um norte de valores empáticos, onde todas as pessoas cultivam o “sentimento de dono”: todos nós somos fabricantes e vendedores de nossos produtos, “todos os problemas são problemas de todos”.

Com esse norte cultural todos trabalham numa mesma direção e a energia concentrada vai gerar níveis de excelência de qualidade, produtividade, satisfação e desenvolvimento. (7)

E sua organização ? Ela tem um padrão cultural? Qual? Em que medida os gestores se sentem desnorteados ou se preparam corajosamente para enfrentar esses desafios?

*Colaboração de Antonio Carlos A. Telles, Consultor da WCCA.

  • Houaiss
  • Ameba
  • Apostila “Kaizen Zero”, WCCA, 2019.

MATÉRIA PUBLICADA VIA LINKEDIN EM 16/08/2019, PELO USUÁRIO E GERENTE: GUILHERME CARVALHO.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Você também pode se interessar por:

NOSSO APLICATIVO: ALFA ZERO

A WCCA – Consultores Associados em parceria com a SprintMind, apresenta o seu aplicativo  ” ALFA ZERO “. Crie um ambiente de Gestão Colaborativa entre o seu RH e a Produção, ajude o seus Gestores a terem visão estratégica do seu ambiente de trabalho.Agende uma apresentação online ou construa um projeto piloto com a nossa

Leia mais >

COMO PREPARAR SUA EMPRESA PARA O MUNDO POS-PANDEMIA?

“Preparing Your Business for a Post-Pandemic World” foi o tema explorado na Harvard Business Review (10/4/2020) por dois professores (1) da  Copenhagen Business School da Dinamarca. Vivemos uma pandemia global com impactos locais, mas os conceitos e práticas fundamentais de gestão são universais. É sempre útil refletir sobre  recomendações de especialistas internacionais, pois as empresas

Leia mais >

LGPD FOI ADIADA DEVIDO AO COVID19

Em toda mudança convém observar prós e contras. É o caso da prorrogação da entrada em vigor da legislação brasileira sobre proteção de dados. Em virtude dos impactos da pandemia, o Senado Federal aprovou na última sexta-feira (3/4/2020) a prorrogação do início da vigência, da Lei Geral de Proteção de Dados –LGPD, de agosto de

Leia mais >

ATENÇÃO RH! NÃO PERCA! É IMPORTANTE!
In Company

CURSO DE FORMAÇÃO SINDICAL PARA GESTORES DE FÁBRICA E DA ÁREA DE RH

A gestão moderna de uma empresa, exige que os gestores e colaboradores da área de RH, utilizem ferramentas adequadas para a administração da gestão sindical no âmbito da empresa e nas relações com o Sindicado.

Objetivos

  • Preparar os gestores para administrarem diariamente as Relações Sindicais e Trabalhistas produzidas por Cipeiros, Dirigentes Sindicais e estáveis.
  • Desenvolver “lideranças”, posicionando-as como administradoras do capital e do trabalho, administrando as insatisfações e os líderes naturais.
  • Capacitar os gestores para o preenchimento dos “espaços vazios” que possam ser explorados pela ação sindical interna.
  • Aumentar a percepção dos Gestores como base para a prevenção de greves.
  • Conscientizar os participantes da vital importância da preparação organizacional para enfrentar as demandas sindicais.
  • Transmitir aos participantes as situações reais vividas pela WCCA em greves e negociações com Sindicatos em diversas empresas, através de conteúdos eminentemente práticos e atuais.

Cadastre-se para receber mais informações: